O que é o ponto de equilíbrio econômico da sua empresa e como calculá-lo?

De acordo com dados do IBGE, menos de 40% das empresas abertas no Brasil sobrevivem após 5 anos. Para não entrar nessas estatísticas, cuidar da parte financeira é indispensável, por exemplo conhecendo e acompanhando o ponto de equilíbrio econômico, contábil e também o ponto de equilíbrio financeiro.

Quando bem acompanhado pelo gestor, o ponto de equilíbrio torna-se um relevante indicador para o controle de fluxo de caixa, visto que identifica o número mínimo de vendas necessárias a cada mês para obter lucro. 

Dessa forma, as informações contidas no ponto de equilíbrio podem ser utilizadas para traçar metas e estratégias — em longo e curto prazo — para a organização.

Para entender como funciona o ponto de equilíbrio, quais os tipos existentes e como fazer os cálculos, continue lendo este conteúdo.

O que é ponto de equilíbrio?

Basicamente, podemos entender como ponto de equilíbrio quando a receita total é igual a soma dos custos e despesas. Ou seja, é quando a empresa fica no “0 a 0”, não registrando nem lucro, nem prejuízo.

Também conhecido como break-even point, este é o momento quando os produtos vendidos se igualam aos custos e despesas, mas ainda não são capazes de gerar lucro para a empresa.

Quais as vantagens de calcular o ponto de equilíbrio?

A principal vantagem de calcular o ponto de equilíbrio é entender quanto a empresa precisa faturar no mínimo por mês para cobrir os custos fixos e variáveis. Ou seja, a partir de quantas vendas, o negócio começa a ter lucro.

Os custos fixos são aqueles que se mantêm independentemente do volume de produção demandado, como: aluguel, impostos, água e luz, IPTU, salários, materiais de limpeza e de escritório etc.

Já os custos variáveis são os que variam de acordo com o volume de demanda e produção, como: produção e mão-de-obra, matéria-prima, comissões sobre vendas, multas etc.

Muitos gestores que estão iniciando podem estranhar o fato de calcular o ponto de equilíbrio, já que a vocação de qualquer negócio é ter lucro. 

A fórmula do ponto de equilíbrio, no entanto, não indica que a empresa não terá lucro. Pelo contrário, ela dá ao gestor uma ideia de qual deve ser o faturamento mínimo para não ter prejuízo.

A partir desse dado, fica mais fácil organizar seus esforços de vendas, de modo a superar essa meta e começar a lucrar.

Também é importante acompanhar o ponto de equilíbrio em épocas que você sabe que as vendas são baixas. Assim, é possível criar ações para, ao menos, atingir o ponto de equilíbrio nesse período, mantendo as contas em dia.

Ao entender esse valor e trabalhar em cima dele, você tem grandes chances de não ir à falência e de conseguir estruturar o crescimento do seu negócio.

Quais são os tipos de ponto de equilíbrio?

Quando falamos em ponto de equilíbrio, o termo pode se referir a, basicamente, 3 tipos, que são: ponto de equilíbrio contábil, ponto de equilíbrio financeiro e ponto de equilíbrio econômico.

Ponto de equilíbrio contábil

É o ponto de equilíbrio mais usado pela maioria das empresas. Nele, busca-se entender qual é o mínimo de vendas que deve ser realizado para que a empresa não registre prejuízo.

Para calcular o ponto de equilíbrio contábil, portanto, a fórmula é simples: basta dividir o valor dos custos e despesas fixas pela margem de contribuição. O resultado é a receita que sua empresa precisa para igualar os gastos.

Em outras palavras, temos a seguinte fórmula:

Ponto de equilíbrio contábil = custos e despesas fixas/margem de contribuição unitária

Ponto de equilíbrio financeiro

Neste modelo, são excluídos do cálculo as despesas não desembolsáveis. Ou seja, que diminuem o lucro no demonstrativo do resultado do exercício (DRE), mas não saem do fluxo de caixa. Um exemplo é a amortização e a exaustão de ativos.

O ponto de equilíbrio financeiro, portanto, é baseado principalmente em caixa, desconsiderando despesas como: amortização e depreciação que podem ser incluídos no cálculo do ponto de equilíbrio contábil.

Por exemplo, se você tinha um ativo que valia R$100, mas com o passar dos anos, ele passou a valer R$70, esses R$30 perdidos podem entrar na lista de custos ou despesas da empresa, no cálculo do ponto de equilíbrio contábil. No financeiro, esse valor não é incluído.

A fórmula fica da seguinte maneira:

Ponto de equilíbrio financeiro = (gastos fixos – gastos não desembolsáveis)/margem de contribuição unitária

Ponto de equilíbrio econômico

O ponto de equilíbrio econômico é considerado o custo de oportunidade do dinheiro aplicado, de forma com que se tenha a visão do lucro mínimo aceitável.

Pode-se dizer que o ponto de equilíbrio econômico se dá quando a empresa compara o retorno de suas vendas com o retorno que o mercado daria com o capital investido pelo empreendedor, em relação à taxa solicitada.

Ou seja, neste caso, o ponto de equilíbrio nos mostra a quantidade de vendas/ faturamento necessários para que a empresa pague todas as suas despesas fixas e o custo de oportunidade do capital, uma espécie de correção monetária considerada junto das despesas fixas.

Vamos supor que, caso o empreendedor não tivesse investido na empresa, ele poderia aplicar o dinheiro em um investimento que renderia 15% ao ano. No cálculo do ponto de equilíbrio econômico, essa margem é considerada e você só consegue empatar quando, ao pagar todas as despesas, obtiver uma remuneração compatível ao percentual que o dinheiro renderia parado no mercado financeiro.

Basicamente, a fórmula é a seguinte:

Ponto de equilíbrio econômico = (despesas fixas + custos fixos + custo de oportunidade)/margem de contribuição unitária

Homem sentado em frente ao computador usa sistema para facilita a gestão financeira do negócio e encontrar o ponto de equilíbrio econômico da sua empresa.

Como calcular o ponto de equilíbrio econômico?

O cálculo do ponto de equilíbrio econômico serve para indicar uma receita que cubra os custos e despesas fixas e, ainda, que garanta o lucro mínimo desejado, compatível com o custo de oportunidade. A fórmula é:

PEE = (custos e despesas fixas + custo de oportunidade) /margem de contribuição

Veja um exemplo para realização do cálculo:

  •  Custos e despesas fixas: R$ 6.000,00
  • Custo de oportunidade: R$ 10.000,00
  •  Margem de contribuição: R$ 15 por unidade (ou 30%)

Sendo assim:

PEE = (R$ 6.000,00 + R$ 10.000,00) ÷ 0,3

PEE = R$ 53.333 (ou 1.066 unidades)

Ou seja, a empresa precisa vender 1.066 unidades ao mês para cobrir o retorno que o mercado daria ao capital investido, de acordo com a taxa solicitada.

Outros exemplos

Além do ponto de equilíbrio econômico, você pode, também, calcular o ponto de equilíbrio financeiro e contábil.

Vamos supor que você tenha uma confecção de camisetas e que venda cada camiseta a R$20, com um custo unitário de R$10. As despesas fixas da sua confecção seriam de R$5 mil e a depreciação das instalações, de R$500. O lucro desejado para o negócio é de R$2 mil.

Para calcular o ponto de equilíbrio contábil, pela fórmula, teríamos:

  • Ponto de equilíbrio contábil = R$5 mil/R$10 = 500 unidades
  • Ponto de equilíbrio financeiro = (R$5 mil – R$500)/R$10 =450 unidades
  • Ponto de equilíbrio econômico = (R$ 5 mil + R$2 mil)/R$10 = 700 unidades

Ponto de equilíbrio econômico financeiro

Além de todos esses, ainda existe o ponto de equilíbrio econômico financeiro considerado, por muitos especialistas, como o mais completo de todos.

A fórmula é:

Ponto de equilíbrio econômico financeiro = (despesas fixas – despesas não desembolsáveis + custo de oportunidade) / margem de contribuição unitária

Assim, no nosso exemplo anterior teríamos:

Ponto de equilíbrio econômico financeiro = (R$5 mil – R$500 +R$2mil)/R$10 = 650 unidades.

Você pode calcular todos os pontos de equilíbrio para ter uma noção mais precisa da sua realidade e uma média de quantas unidades é preciso vender para pagar suas contas e a partir de quantas você consegue lucrar.

Conclusão

Neste conteúdo, você entendeu que o ponto de equilíbrio é um cálculo importante que mostra quanto uma empresa precisa vender para pagar as despesas e custos, e não ter prejuízo. A partir desse valor, o negócio começa a ter lucro.

O ponto de equilíbrio pode ser dividido em diferentes opções, dependendo do que é considerado no cálculo, como ponto de equilíbrio contábil, ponto de equilíbrio financeiro e ponto de equilíbrio econômico, além do ponto de equilíbrio econômico financeiro, considerado o mais completo de todos.

Calcular e acompanhar essa informação ajuda você, como gestor, a entender qual deve ser o faturamento mínimo do seu negócio e também a preparar campanhas de vendas e outras ações para sempre atingir o ponto de equilíbrio, independentemente da sazonalidade.

Agora você já sabe tudo sobre o ponto de equilíbrio econômico, financeiro e contábil? Se ainda tem alguma dúvida, é só deixar um comentário pra gente. A equipe TagPlus está sempre pronta para ajudar os gestores e conseguirem resultados ainda melhores!

Sistema online

TagPlus é o sistema ideal
para a gestão da sua loja!

Controle seu estoque, financeiro, clientes,
notas fiscais, venda online e muito mais.

Imagem ilustrativa monitor com o Sistema Tagplus
Foto do perfil do autor ou autora

Escrito por

Nenhum comentário

Deixe o seu Comentário

Categorias