Marketing Flywheel x Funil de Vendas: saiba qual é o melhor para o seu negócio!

[GUEST POST Ideal Marketing]

As metodologias adotadas no mundo dos negócios possuem mudanças significativas ao longo do tempo. Para atrair e reter os clientes, muitas empresas estão adotando o método do marketing flywheel como uma nova aposta no planejamento de estratégias. 

Dessa forma, é compreensível entender que o funil de vendas, adotado em formatos adequados ao mercado em que cada empresa atual, esteja com os dias contados dentro da jornada de compra de um lead, como são denominados os potenciais clientes. Contudo, esse pensamento pode ser um equívoco.

Essas alterações estão intimamente ligadas às mudanças observadas nos hábitos e comportamentos dos consumidores, mas as campanhas podem ser feitas considerando a complementação dessas metodologias.  O próprio mercado consumidor tem se transformado, principalmente a partir dos anos 2000, em que a tecnologia se apresentou de diferentes formas. 

A atuação se faz presente em diferentes modelos de vendas, como:

  • Aplicativos comerciais;
  • E-commerce;
  • Lojas virtuais;
  • Marketplaces

A acessibilidade proporcionada por equipamentos modernos e de fácil manipulação, como computadores, tablets e, principalmente, os celulares smartphones, proporcionou uma nova forma de consumo. Com isso, as empresas também seguem as transformações e, entre muitas dessas mudanças, está a diferença entre o marketing flywheel e o funil de vendas, visto que adequações são necessárias para manter a atração do público ao trabalhar com o Marketing.

Diferença entre funil de vendas e flywheel

Antes de substituir uma estratégia para alcance dos clientes, e gerenciar todo o relacionamento, é muito importante entender quais as principais características de cada um, afinal, são essas especificidades que definirão qual é a mais adequada para as necessidades e objetivos da empresa com mais qualidade.

Ou seja, é necessário entender por que as diferenças tendem a apontar o marketing flywheel como um novo modelo de negócios para os segmentos que trabalham nos meios digitais, bem como se não é mais vantajoso mesclar aspectos de cada um dos formatos.

Funil de vendas na jornada do cliente

Dividido por fases específicas, ou etapas que podem ser complementares entre uma e outra seção, o funil de vendas está associado ao Inbound Marketing onde ficam estabelecidas 4 partes distintas:

  • Atração;
  • Conversão;
  • Venda;
  • Encantamento.

Desse modo, o objetivo principal do funil de vendas é apresentar uma solução adequada para um problema que o lead apresenta ou se identifica. 

Ou seja, nele é possível fazer a captação por meios de atração e levar o cliente do topo (relacionamento e conhecimentos mais superficiais), passando pelo meio do funil, até a parte de baixo, momento em que soluções são apresentas e o cliente sente confiança na marca, podendo ser convertido de forma apropriada.

As principais características apresentadas pelo funil de vendas está em uma alta concentração de volume de leads, no topo do funil, mas que pode apresentar baixa conversão real para clientes, visto que é preciso trabalhar e qualificar esses potenciais clientes. 

Mais ainda, essa característica tende a facilitar o consumo, pois não demonstra grandes barreiras na relação e no momento da compra, visto que todas as dúvidas e considerações do público podem ser sanadas ao longo do funil. Inclusive, uma grande vantagem está na maior visibilidade apresentada pela marca junto aos consumidores. 

Isso ocorre porque o Marketing de Conteúdo é trabalhado em diferentes formatos e plataformas digitais, como:

  • Blogs;
  • E-book;
  • Redes sociais;
  • Podcasts;
  • Vídeos.

Contudo, cabe ressaltar que, de modo geral, nenhum conteúdo voltado para a atração e nutrição do lead deve ter algum custo financeiro, pois a ideia é realmente atrair os consumidores para o que a empresa tem a oferecer e então ofertar o produto. 

Isso significa dizer que a forma tradicional do funil de vendas se apresenta nas etapas do marketing de atração, com o propósito de qualificar os leads até que ocorra a conversão em cliente, e o ciclo se repetir de forma mais otimizada. 

Já no fundo do funil o volume é menor, sendo possível convencer o usuário em pontos significativos, como a realização da compra e na disponibilidade da equipe de vendas e, até mesmo, se colocar pronto para a recepção no pós-venda.

Flywheel centrado na energia contínua

Já a metodologia adotada no marketing flywheel foi apontada pelo estudioso do setor de vendas Jim Collins, após a comparação de empresas com engrenagens motoras. A justificativa apresentada sobre a teoria é de que a energia para a movimentação dos rotores em diferentes setores se assemelham a engrenagens, como o flywheel, ou disco que gera energia em uma circulação contínua.

No mercado consumidor, isso significa que não é necessário empreender em um funil de vendas, onde há um início, um meio e um fim. Dessa forma, tudo se torna circular, desde a metodologia de atração e na reação constante sobre a energia proposta em uma campanha publicitária, tornando os clientes parte do processo de divulgação.

O marketing de atração tem uma finalidade abrangente, em que as ferramentas de divulgação podem ser utilizadas das mais diferentes formas. Assim, ela pode se dar por meio de anúncios pagos no Twitter Ads, ou então na produção de um hotsite que possa ser compartilhado em redes sociais. 

Essa metodologia compreende a formação contínua de energia, com foco na atração, no engajamento e no encantamento, e tornando o circuito mais fluido e otimizado, já que conta com a reação dos usuários. A atração é formalizada de maneira orgânica, com um público que visita os sites, blogs e as redes sociais em busca de materiais que proporcionem um relacionamento natural, assim como ocorre no funil.

Já o engajamento ocorre em consequência, quando os clientes se envolvem com a marca de tal maneira que além de fechar negócios podem ser vistos como “embaixadores da marca”, e isso se torna algo além do número de vendas. 

Apontamentos sobre soluções significativas, que são compatíveis com os problemas de leads, podem ser apresentados, deixando cada vez mais clientes satisfeitos e fazendo com que eles também atuem na defesa dos produtos, ou seja, passam a retornar de alguma maneira.

Também conhecido como funil de Hubspot, pois foi a primeira empresa que trabalha no marketing digital a adotar a metodologia flywheel em vendas, o encantamento está associado à experiência do cliente. Nesse caso, é preciso garantir a todo momento atenção em relação aos pontos do marketing de atração e a relação com os potenciais clientes.

Ou seja, a estratégia considera passar pela atração, pela conversão e pela venda até chegar ao encantamento, estreitando os laços e garantindo que o cliente possa promover a marca junto a um público interessado.

Aplicação do marketing flywheel na prática

Para tudo sempre há um início, e para as empresas, esse princípio sempre pode ser problemático, se não for bem planejado ou envolver clientes/colaboradores dentro de um clima organizacional em sintonia. A atração para iniciar um relacionamento pode estar associada à apresentação de soluções capilares, envolvendo os leads quanto a necessidades específicas. 

Nesse processo, o encantamento se torna natural, desde que a experiência seja significativa e relevante.  O ponto principal visa atribuir valores sobre a marca e incentivo quanto aos objetivos que podem ser alcançados. Para que o marketing flywheel seja aplicado de maneira coerente, há ao menos 3 regras que devem ser colocadas em prática. São elas:

  1. Investimentos de médio e longo prazo

O imediatismo não deve ser atrelado ao marketing flywheel, pois é preciso que a metodologia seja empregada de diferentes formas dentro do escopo empresarial, além de atuar a longo prazo. Há também de considerar custos envolvidos, e que não se tratam apenas de setores financeiros ou de marketing. 

Assim, é preciso estabelecer metas que possam ser alcançadas pela área de vendas e logística, determinando retornos. Parceiros e fornecedores também entram no planejamento, como suporte para a marca em geral.

2. Envolva a sinergia entre setores

A troca de experiências internas apresenta soluções que podem ser aplicadas no marketing flywheel. Nesse quesito, é preciso que funcionários diretos e colaboradores terceirizados estejam em uma mesma sintonia, para que a sinergia seja constante e aparente, fazendo com que a linguagem e a missão defendida sejam semelhantes.

Os mais diversos setores de uma empresa estão interligados com produtividade, proatividade, desde o atendimento ao cliente até a pós-venda e recepção de sugestões, críticas e reclamações, tornando a identidade do negócio clara. Aliás, tudo deve ser passado pelos setores responsáveis e de gerenciamento, para evitar erros e melhorar a empregabilidade da metodologia flywheel de maneira contínua.

3. Faça experiências contundentes

A inovação é uma palavra fundamental e que está intimamente relacionada ao marketing flywheel. Diferente do funil de vendas, em que há três etapas pelas quais os leads devem passar (mesmo que de formas/velocidades distintas), na metodologia moderna há pontos de atração que visam reunir o maior número de pessoas em torno de uma marca.

Por isso é muito importante experimentar, em diferentes pontos, o que pode ser mais abrangente na atração de leads e para melhorar a relação. Ou seja, identificar o que é mais fácil para se tornar referência quanto ao engajamento e o encantamento dos clientes.

Conclusão

Mesmo com a resistência às mudanças implementadas, o marketing flywheel segue entre as principais alterações e alternativas que envolvem a atração e retenção dos clientes, mesmo quando trabalhada em conjunto com outras dinâmicas.

Isso ocorre por conta do impulsionamento das vendas que passam a ser mais concentradas nas ações dos consumidores, envolvendo diferentes aspectos comerciais que são inerentes ao dia a dia de empreendedores e empresas.

Nesse sentido, os diferentes setores devem manter uma mesma sintonia na atuação do marketing de flywheel, requerendo a compreensão em todos eles, incluem:

  • Atendimento;
  • Financeiro;
  • Marketing;
  • Serviços;
  • Vendas.

Essa proposta visa reduzir ao máximo qualquer tipo de falha nas comunicações propostas e alinhar a identidade e benesses da marca, possibilitando a redução de atritos que possam causar problemas no clima organizacional ou mesmo na atuação da empresa ao concluir vendas. 

Por fim, vale lembrar que os clientes possuem características próprias, mesmo quando estão envolvidos em um nicho específico de consumo. Todas as mudanças implementadas podem ser fundamentais por um determinado período. No entanto, é importante se atentar às tendências apresentadas no mercado e sempre experimentar o que mais se encaixa no dia a dia empresarial ou corporativo.

O marketing flywheel pode ser uma estratégia eficiente, gerando resultados satisfatórios quando bem implementada e levando em consideração o comprometimento de todas as esferas envolvidas no relacionamento e comunicação com os clientes.

Assim, cabe a cada gestor entender como aplicar, quais suas necessidades, a possibilidade de integrar o funil de venda e se concentrar em toda a jornada de compra do cliente para, assim, alcançar novos patamares de sucesso e relevância da marca, dos produtos e serviços junto ao mercado consumidor. 

Sistema online

TagPlus é o sistema ideal
para a gestão da sua loja!

Controle seu estoque, financeiro, clientes,
notas fiscais, venda online e muito mais.

Imagem ilustrativa monitor com o Sistema Tagplus
Foto do perfil do autor ou autora

Escrito por

Publicitária por formação, atua há 3 anos com produção de conteúdo para a web, escreve roteiros para vídeos institucionais, cria copy para campanhas e redes sociais e é amante da escrita e da leitura em todas as suas formas. Na TagPlus é Analista de Marketing Junior.

Nenhum comentário

Deixe o seu Comentário

Categorias