MEI x Simples nacional – Conheça as diferenças

Publicado em 24/01/2018

Atualmente, o empreendedorismo está em alta. Segundo dados revelados pela
pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), em 2004, os empreendedores
representavam 23% da população. Já em 2015, atingiu a marca de 35%.

Para um novo empreendedor abrir uma empresa, ele passa por muitas etapas. O
processo inicial pode ser confuso, por isso é preciso agir com cautela. Um importante
passo rumo ao desenvolvimento, é decidir qual enquadramento tributário é mais
adequado para o perfil do seu negócio. Para isso, é preciso analisar algumas questões,
como: tamanho e potencial de lucro.

Visando esclarecer, de uma vez por todas, as suas dúvidas, apresentaremos as
diferenças entre o MEI (Microempreendedor Individual) e Simples Nacional:

O que é o MEI? (linkar “Mei” para o site:
http://www.portaldoempreendedor.gov.br/)

É um tipo de regime que regulamenta o empreendedor individual e garante uma série
de vantagens para o negócio, mas é preciso ficar atento as obrigações. Pode entrar
neste regime, empresas que tem o faturamento até R$ 60,000,00 por ano, a partir de
2018, este valor muda para R$ 81.000,00. O empreendedor também não pode ser
sócio de nenhum outro negócio e, obrigatoriamente, precisa exercer uma das mais de
470 atividades listadas na tabela do MEI. As taxas que integram este regime deverão
ser pagas mensalmente: INSS, 5% do salário mínimo, ICMS (comércio e indústria) e ISS
para prestadores de serviços.

Vantagens:

  • Legalizar o seu empreendimento
  • Isenção de Impostos
  • Benefícios previdenciários
  • Burocracia simplicada

O que é Simples Nacional? (linkar “simples nacional” para o site:
http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/Default.aspx)

O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado e mais simples que beneficia
as pequenas empresas. Em 2018, o valor máximo de lucro arrecadado para se
enquadrar no Simples Nacional, passará a ser 4,8 milhões de reais. Este tipo de regime
possibilita o recolhimento dos tributos federais, estaduais e municipais em uma só
guia. Para optar por este tipo de regimento a empresa deve estar em dia com suas
obrigações financeiras junto a Dívida Ativa da União ou do INSS.
Vantagens:

  • Possibilidades de menor tributação que em outros regimes tributários
  • Facilidade no atendimento da legislação tributária, previdenciária e trabalhista
  • Pagamento de diversos tributos realizado em guia única

Como decidir?

Primeiramente, você precisa analisar o perfil do seu negócio. O primeiro
questionamento é “A atividade exercida pela sua empresa se enquadra no MEI?”
Geralmente, o tipo de negócio que mais se adéqua ao MEI são as empresas
compostas, quase sempre, somente pelo próprio dono. Outro ponto determinante é o
faturamento. Existe um limite de lucro, atualmente, de R$ 60.000,00 por ano, que, se
dividido pelos 12 meses, dá uma quantia de R$ 5.000,00. Este valor precisa ser
respeitado, caso você ultrapasse, poderá encontrar dificuldades para passar do MEI ao
Simples Nacional.

Já o Simples Nacional, é destinado às empresas de pequeno porte e microempresas
com o limite de faturamento mais extenso.

Escrito por:
Guilherme Lucas