Inteligência financeira: saiba como desenvolver essa habilidade em 6 passos

Você sabe o que fazer com o dinheiro que recebe, tem sabedoria para gerir seus recursos, controla os gastos e ainda consegue poupar no fim do mês? Parabéns, você tem a chamada inteligência financeira!

Ao contrário do que se pensa, ter inteligência financeira não diz respeito somente a ter dinheiro na conta e juntar o máximo possível. É sobre agir de forma inteligente com as suas finanças — auxiliando na tomada de decisão —, a fim de evitar gastos desnecessários e, ainda, trazer benefícios ao seu bolso em médio e longo prazo.

Para se ter uma ideia, atualmente, no Brasil, o número de famílias endividadas chega a 72,9%, o maior desde 2010, segundo Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic)1, divulgada em agosto pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Dados como esses destacam a necessidade de desenvolver uma inteligência financeira — tanto para aplicação na vida pessoal quanto profissional — que dará segurança para organizar seus objetivos e investimentos da melhor forma.

Para saber mais sobre o que é a inteligência financeira, como desenvolvê-la e quais as suas vantagens, continue lendo este conteúdo.

O que é inteligência financeira?

Assim como diz o próprio nome, a inteligência financeira é uma habilidade que permite às pessoas gerir e controlar as próprias finanças, de forma equilibrada e acertada.

Em outras palavras, é a capacidade de reconhecer os seus ganhos e gastos, e, baseado nesses dados, tomar boas decisões em relação aos seus recursos econômicos, mantendo um fundo de reserva seguro e, até mesmo, uma carteira de investimentos.

Para que serve a inteligência financeira?

A inteligência financeira serve para ajudar o indivíduo a ter mais tranquilidade e segurança na hora de lidar com seu próprio dinheiro.

Pessoas que adquirem a habilidade de gerir suas finanças têm muito mais liberdade de escolha, aumentando, assim, a probabilidade de realizar seus objetivos e de conquistar a tão sonhada estabilidade financeira.

Além disso, desenvolver a inteligência financeira ajuda a criar hábitos mais saudáveis e responsáveis, servindo como uma base segura para suas decisões cotidianas.

Quais os principais benefícios dessa habilidade?

Veja, agora, os benefícios que só a inteligência financeira pode te proporcionar!

Maior controle sobre seus impulsos

Quando se tem consciência do seu fluxo de caixa, seja de uma conta pessoal ou profissional, torna-se muito mais fácil controlar gastos supérfluos e, consequentemente, evitar prejuízos.

Reforço do hábito de poupar

Já ouviu aquela expressão “de grão em grão a galinha enche o papo”?

Esse ditado se aplica bem ao hábito de poupar, afinal, é preciso disciplina e frequência. Por isso, se você conseguir guardar um pouquinho por mês para o seu fundo mensal de investimento ou de reserva, já significa muito.

E lembre-se: cada real importa. Quando puder, economize!

Realização de investimentos mais certeiros

O primeiro passo para adentrar o universo dos investimentos é entender qual o seu perfil de investidor (conservador, moderado ou arrojado). Essa definição vai ajudar a traçar suas próprias estratégias de atuação no mercado de ações, alinhando-se aos seus objetivos. E, gradualmente, isso proporcionará investimentos mais certeiros.

Para tanto, é fundamental que você conheça sua realidade financeira, evitando colocar em risco sua rentabilidade e capital.

Quais os 6 passos para desenvolver a inteligência financeira?

A melhor forma de desenvolver inteligência financeira é compreender os seus gastos por meio de uma análise dos seus hábitos comportamentais de consumo. Veja, a seguir, 6 dicas que ajudarão você a desenvolver essa habilidade.

1. Conheça sua realidade financeira

Conforme falamos, é essencial que conheça a sua realidade financeira para que não coloque em risco sua rentabilidade e capital.

Isso porque é impossível mudar um cenário sem antes entendê-lo muito bem. É essencial saber, detalhadamente, qual é o seu orçamento, os gastos fixos e variáveis, fontes de renda e outros fatores.

Sempre falamos aqui no blog sobre a importância de manter o registro atualizado de suas receitas e gastos. Para o âmbito pessoal, uma planilha ou aplicativos de controle financeiro podem ser de grande ajuda. Por outro lado, se você tem um negócio e deseja ter controle total do seu caixa, é importante investir em sistemas de gestão comercial mais robustos.

2. Alinhe seus gastos às suas metas e objetivos de vida

O primeiro passo para compreender melhor os seus gastos é ter em mente quais as suas metas e objetivos de vida e o que deve ser feito para alcançá-los.

Para facilitar, listamos um passo a passo simples, mas muito efetivo. Veja só!

  • Quais objetivos deverão ser alcançados em curto, médio e longo prazo?
  • Quanto você precisa poupar para realizá-los?
  • Qual a quantia que precisa receber por mês?
  • Qual a quantia que precisa guardar por mês?
  • Em quanto tempo acha que conseguirá cumprir?

Após registrar as respostas dessas perguntas está na hora de poupar e investir seu dinheiro. Aposte em frequência e terá um resultado muito satisfatório. Além disso, quando as ideias estão organizadas, fica muito mais fácil focar e manter-se motivado para alcançar o que deseja.

3. Fuja de gastos desnecessários

Estabeleça uma ordem para suas prioridades financeiras e gaste de acordo com ela. A inteligência financeira compactua justamente com o uso responsável do dinheiro, por isso, gastos não essenciais devem ser cortados do seu dia a dia.

Antes de realizar uma compra, pense com cuidado se existe realmente a necessidade de adquirir o produto naquele momento, se dividir em 10 prestações é a melhor saída, se comer todos os dias na rua é interessante para seu bolso, se precisa mesmo ter tantas assinaturas de streaming e por aí vai.

Analise e compare diferentes situações para chegar a um consenso dos gastos que podem ser cortados sem muito sofrimento.

4. Poupe dinheiro e invista

Recomenda-se que uma parte do seu dinheiro seja utilizada para investir, mesmo que seja uma pequena quantia. Às vezes, é interessante reservar um valor fixo mensal para aplicações, como uma forma de controle.

Com o tempo, as suas aplicações começarão a dar retorno e você poderá investir mais incisivamente.

5. Separe dinheiro para emergências

Em qualquer circunstância da vida, é muito importante ter uma reserva de emergência, afinal, nunca se sabe quando precisará passar por uma cirurgia, vivenciará uma crise financeira ou precisará de valores extras para lidar com imprevistos de sua empresa, por exemplo.

Nesse sentido, a inteligência financeira está diretamente ligada à inteligência emocional, fazendo com que o indivíduo seja capaz de lidar de forma muito mais equilibrada com problemas que podem surgir ao longo da vida.

6. Estude e mantenha-se atualizado

Um passo muito importante para conquistar sua inteligência financeira é estudar!

Pesquise em blogs de finanças, leia muito sobre como funciona a economia, entenda sobre cada perfil de investidor e em qual você se encaixa melhor, siga profissionais nos quais você se espelha, enfim, torne o estudo um hábito e verá resultados surpreendentes!

Se você quer conquistar a tão famigerada inteligência financeira, controle seus gastos, informe-se sobre o mercado e comece a investir! Que tal dar o primeiro passo e começar a aprender como funciona o investimento de ações na bolsa de valores?

1 Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic)

Sistema online

TagPlus é o sistema ideal
para a gestão da sua loja!

Controle seu estoque, financeiro, clientes,
notas fiscais, venda online e muito mais.

Imagem ilustrativa monitor com o Sistema Tagplus
Foto do perfil do autor ou autora

Escrito por

Publicitária por formação, atua há 3 anos com produção de conteúdo para a web, escreve roteiros para vídeos institucionais, cria copy para campanhas e redes sociais e é amante da escrita e da leitura em todas as suas formas. Na TagPlus é Analista de Marketing Junior.

Nenhum comentário

Deixe o seu Comentário

Categorias