Por que arredondar troco pode ser um problema?

Sabe quando você vai comprar algo na padaria e a(o) caixa não tem o troco e pergunta “posso te dar o troco em balas?” Pois então, essa prática é considerada venda casada, é ilegal e condenada pelo Código de Defesa do Consumidor. 

Um problema que vem assolando os comércios varejistas é a falta de moedas no caixa, principalmente de menor valor, como as de 0,05 e 0,01 centavos. Por isso, na falta de troco dos valores fracionados, o comércio deve arredondar para baixo até que seja possível devolver o troco para o consumidor. Por exemplo, um produto custa 4,99, o comércio provavelmente vai cobrar para cima, ou seja,  5,00, e você vai embora sem seu troco. O correto seria arredondar para baixo, até que ficasse no mínimo, 4,95 e fosse viável voltar uma moeda de 0,05. Essa prática é considerada abusiva e pode ser prevista como enriquecimento sem causa (ilícito), afinal, de 0,01 em 0,01, a loja tem um aumento de lucro. Seguindo esse mesmo raciocínio, quando o empreendedor arredonda o troco para cima, ele tem como consequência, a quebra de caixa, ou seja, de 0,02 em 0,02 centavos, da mesma forma que você pode lucrar, você também pode ter prejuízos em larga escala.

Conclusão

Infelizmente, não existe nenhuma regulamentação específica em relação aos preços quebrados em estabelecimentos. Dessa forma, é livre e de total responsabilidade do comerciante estabelecer os preços, inclusive de providenciar pequenas quantias que servirão de troco, sem precisar arredondar. 
Uma solução interessante é colocar produtos úteis na fila do caixa, assim os consumidores podem levá-los e totalizar um valor cheio.
Já que estamos na era da tecnologia, uma novidade é utilizar o troco digital para entregar o troco ao cliente, sem utilizar dinheiro físico. É um aplicativo que faz a transferência do troco diretamente ao consumidor. Além disso, o valor rende anualmente, serve como pagamento em outros estabelecimentos e ainda dá para fazer transferências.

TagPlus, sua gestão comercial online!


Foto do perfil do autor ou atora

Ecóloga, estudante de Publicidade e Propaganda. Na TagPlus, é Auxiliar Analista de Marketing e Publicidade, com ênfase em redação.

Nenhum comentário

Deixe o seu Comentário

Categorias