Marketplace ou E-commerce, qual plataforma escolher?

Muitas pessoas tem optado por vender seus produtos e serviços na internet, por vários motivos, mas principalmente pela facilidade e agilidade com que os negócios podem crescer e ganhar visibilidade. Para isso, existem 2 (dois) tipos de plataformas, o marketplace e o e-commerce.

O texto anterior foi sobre as vantagens e desvantagens em empreender através da plataforma de vendas, marketplace. Nesse de agora, vamos tratar do que os diferencia, mesmo que sejam tão parecidos aos olhos dos leigos.

Vou organizar por temas para facilitar sua leitura e entendimento!

Diferenças de plataformas

O E-commerce é uma loja virtual própria e exclusiva da sua marca.
O marketplace é como se fosse um shopping virtual, ou seja, é um espaço que reúne várias lojas diferentes.

Marketing

Marketing digital é o futuro no presente. É a melhor forma de divulgar seu negócio e ganhar novos clientes.

No e-commerce, toda a produção e divulgação das campanhas de marketing ficam por conta do dono da marca. É ele quem decide quanto investir, como quando e onde. Tudo isso acrescenta para a marca, que ganha visibilidade e novos potenciais clientes.

No marketplace, o marketing é totalmente decidido pela plataforma contratada. E as campanhas feitas, normalmente, dão ibope à própria marca, não às lojas que compõe a plataforma.

Nesse caso, só depende do que a marca quer para si. Se não tiver a fim de ficar se preocupando com o marketing, o melhor é investir em um marketplace. Agora, se quiser uma campanha que leve seu nome e sua personalidade, o melhor é ter um e-commerce próprio.

Concorrência

No e-commerce, uma vez que a marca tem seu nome reconhecido pelos clientes fieis, é possível manter um relacionamento de qualidade com eles.
Mesmo diante do reconhecimento, as marcas precisam de diferenciais para se destacar das outras, por isso, invista em ações promocionais e de fidelização.

No marketplace, é impossível fugir dos seus concorrentes, já que estão reunidos no mesmo espaço que o da sua loja. A melhor maneira de se destacar é focar em produtos diferenciados e preços especiais.

Pagamento

No e-commerce, todos as formas de pagamento que a marca decide adquirir, tem um custo, o do fornecedor. E o mercado, a cada dia que passa, lança novos meios de pagamento.

No marketplace, os custos adicionais ficam por conta do dono da plataforma. A única coisa que sua loja paga é a taxa administrativa que é cobrada pelo marketplace, para mediar as negociações com as empresas de cartão e bancos.

Investimento

No e-commerce, toda a responsabilidade de contratação, desenvolvimento e estrutura da plataforma é do próprio dono.

No marketplace, é contratada uma empresa que fica responsável por toda a infraestrutura da plataforma.

Visibilidade e alcance

O e-commerce é responsável pela sua própria divulgação da marca.
Por isso, deve ser bem avaliado se vale a pena, diante da verba disponível para cada setor.

O marketplace, devido à reunião de várias marcas, têm um maior tráfego de visitantes. É ótimo para quem está iniciando sua aventura de vender na internet. 

Para uma marca que está começando a vender seus produtos na internet, e que ainda não tem investimentos suficiente, o legal é colocar sua loja em um marketplace para que se torne conhecida, e ter também um e-commerce, para assim, receber os leads que vem do marketplace e, consequentemente, aumentar suas vendas.

Estoque

No e-commerce, o estoque funciona com mais autonomia do proprietário, principalmente em casos de ações promocionais.

No marketplace, qualquer ação deve ser comunicada à plataforma contratada, ou seja, a loja não tem liberdade para tomar suas próprias decisões.

Segurança

Na segurança, assim como em outros fatores, a responsabilidade sobre o negócio no e-commerce, é muito maior do que no marketplace, no qual o contrato com a plataforma já engloba a resolução de certos problemas que possam vir a ocorrer.

Sendo assim, o responsável pelo e-commerce é que tem que contratar alguém para garantir a segurança de dados de seus consumidores. No caso do marketplace, essa preocupação é da empresa contratada para averiguar a segurança do shopping virtual.

Conclusão

Tanto no e-commerce quanto no marketplace, há suas características positivas e negativas. O que vai fazer com o que escolha por uma outra, é justamente o fato de saber o que sua empresa quer e precisa diante do mercado, agora e/ou futuramente.

Lembre-se que na maioria dos casos, o e-commerce é responsável pelo seu próprio sucesso, ou seja, as principais tarefas a serem feitas para chegar ao topo, são planejadas e realizadas por conta da loja.

No caso do marketplace, os lojistas optam por contratar uma empresa (plataforma) que ficará responsável pelas tarefas principais, sendo assim, a preocupação vai a quase zero.

O ideal é que o lojista consiga manter as duas plataformas em pleno funcionamento. O e-commerce vai criar um ambiente de confiança para com os clientes, e o marketplace vai tornar sua marca conhecida, dar maior visibilidade e levar potenciais clientes à sua página própria.

Agora que está por dentro das principais diferenças entre o Marketplace e o E-commerce, o que acha de comentar sua opinião aqui embaixo? Fique à vontade!

Foto do perfil do autor ou atora

Ecóloga, estudante de Publicidade e Propaganda. Na TagPlus, é Auxiliar Analista de Marketing e Publicidade, com ênfase em redação.

Nenhum comentário

Deixe o seu Comentário

Categorias