Conheça as diferenças entre regime de caixa e regime de competência

Quem está buscando se informar sobre gestão de negócios, provavelmente já leu algum conteúdo sobre regime de caixa e regime de competência. Ambos os métodos impactam diretamente na contabilidade da sua empresa.

Eles dizem respeito a qualquer movimentação que acontece na organização, podendo ser de entrada ou saída. Dessa forma, todos os eventos são registrados pelo financeiro e pela contabilidade do negócio, sendo, respectivamente, pelo regime de caixa e regime de competência.

Este conteúdo foi escrito com o objetivo de explicar o que é cada um dos métodos, suas diferenças e quando utilizá-los. Continue lendo para se informar.

O que é regime de caixa?

Regime de caixa é o modelo utilizado pelo financeiro de uma empresa para registrar um pagamento (despesas, custos e investimentos) ou recebimento (venda) na data em que ocorre a transação financeira. Ou seja, o evento do regime de caixa ocorre somente no momento da movimentação financeira, tal qual como em uma conta bancária.

Isso permite que o gestor saiba exatamente a quantia que existe em caixa, facilitando a realização de cálculos relacionados ao negócio. Além disso, não é preciso projeções ou previsões para adotar o regime.

Vantagens

  • Permite um acompanhamento descomplicado do fluxo de caixa;
  • demonstra a situação real do caixa da empresa;
  • auxilia o gestor na tomada de decisões a curto prazo.

Desvantagens

  • Pode haver uma falsa visão da saúde financeira do negócio, já que a visão de caixa não é capaz de medir o resultado operacional da empresa.

O que é regime de competência?

O regime de competência pode ser adotado pela área contábil de negócios de qualquer porte e segmento. Contudo, é obrigatório para médias e grandes empresas, assim como para instituições financeiras.

Esse regime acompanha a situação financeira, contábil e patrimonial da organização. Enquanto no regime de caixa o evento ocorre no momento da movimentação financeira, no regime de competência as despesas e receitas só são contabilizadas no momento em que ocorrem (data em que foram geradas) — mesmo que não haja uma data específica de quando será a realização dos pagamentos ou recebimentos.

Confeccionado pelo regime de competência, o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) é um relevante relatório de gestão, no qual é possível avaliar o lucro ou o prejuízo de uma empresa em um determinado período.

Vantagens

  • Entrega um cenário mais preciso da situação patrimonial da empresa, principalmente no longo prazo;
  • por ser um processo mais detalhado, as informações entregues auxiliam na gestão e redução de custos;
  • é possível planejar os investimentos futuros de forma simplificada;
  • demonstra a rentabilidade do negócio;
  • cumpre melhor as exigências legais, já que trata-se de um modelo mais aceito;
  • permite o acompanhamento do crescimento do negócio;
  • contribui para avaliação da depreciação da empresa.

Desvantagens

  • Pode gerar falsas expectativas de receita, pois não contempla os fatos ocorridos entre o evento contábil e o pagamento, inclusive o descumprimento da obrigação;
  • o acompanhamento do fluxo de caixa pode ser melindroso, dependendo da quantidade e complexidade das transações realizadas;
  • por ser um processo mais detalhado, exige maior controle de toda a documentação do negócio.

Qual a diferença entre o regime de caixa e o regime de competência?

Como você pôde perceber, tanto o regime de caixa quanto o regime de competência são utilizados para registrar transações contábeis de uma empresa. Eles se diferem, principalmente, no momento em que cada um é aplicado. Mas, mesmo com objetivos distintos, cada método contribui à sua maneira para a compreensão do retrato mais próximo da realidade financeira do negócio.

Quando utilizar cada regime?

Para demonstrar quando adotar cada regime na prática, usaremos um exemplo. Digamos que sua nova empresa realiza uma venda no valor de R$ 10 mil em produtos, parcelados em duas vezes.

Pelo regime de competência, a empresa deve identificar R$ 10 mil em receitas no primeiro mês. Como sabido, nesse modelo, o dinheiro não é recebido imediatamente, então se mensalmente as despesas forem de R$ 6 mil, no primeiro mês a empresa terá um lucro de R$ 4 mil.

Já no regime de caixa, por estar diretamente ligado ao fluxo de caixa, a empresa deve identificar R$ 5 mil em receitas no primeiro mês, que é quando entra a primeira parcela do pagamento. No mês seguinte, ao receber a nova parcela, será registrado o restante da receita.

Conseguiu entender melhor a aplicação do regime de caixa e do regime de competência? Para continuar acompanhando conteúdos relacionados à gestão de negócios, não deixe de acessar nossas redes sociais.
Estamos no Instagram, Linkedin e Twitter.

Sistema online

TagPlus é o sistema ideal
para a gestão da sua loja!

Controle seu estoque, financeiro, clientes,
notas fiscais, venda online e muito mais.

Imagem ilustrativa monitor com o Sistema Tagplus
Foto do perfil do autor ou autora

Escrito por

Publicitária e Ecóloga. Amante da escrita e da leitura em todas as suas formas. Na TagPlus é Analista de Marketing Junior.

Nenhum comentário

Deixe o seu Comentário

Categorias