NFC-e e o ano de 2016

NFC-e 2016 promete

postado por: , em 19/05/2016

A NFC-e foi um projeto que obteve muito sucesso e, em 2016 será um ano de promessas para o documento fiscal; veja o porquê:

Destaques em 2016 para a NFC-e

Lançado em 2013, o projeto NFC-e atinge em 2016 seu ápice. Neste mês de março, foram autorizados mais de 207 milhões de documentos, através dos 142 mil emitentes espalhados por todo território nacional.

Hoje, somente Santa Catarina não demonstrou interesse no projeto, o que indica uma adoção em massa de todas as unidades federativas do Brasil. Nos estados interessados, ou já se implantou a Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor, ou já existe um calendário para implantação.

A expectativa é que em 2016 sejam emitidas 3x mais documentos do que no ano anterior. Dependendo da curva de adoção, esse volume pode ser ainda maior.

Alguns estados ainda não permitem que todos os seus contribuintes adotem à NFC-e pois estão adaptando e evoluindo seu sistema tecnológico para lidar com a demanda, o que freia o crescimento da emissão deste documento.

O Brasil passa por um momento de crise e recessão econômica, onde as empresas devem ser adaptar, reduzindo custos e melhorando processos. Esses benefícios podem ser em partes atingidos pelo uso da NFC-e.

Por ser um documento totalmente eletrônico e não requerer nenhum tipo de equipamento muito oneroso, a NFC-e permite ao consumidor uma economia tanto em inventário quanto em materiais de consumo.


Gostou da nossa postagem? Ficou com alguma dúvida? Comente a seguir!

E confie sempre no TagPlus, o melhor e maior sistema de Gestão Comercial, também para a emissão de NFC-e. Clique aqui e teste grátis por 15 dias.