Economia de até 40% com o Simples

simples nacional pode gerar economia

postado por: , em 02/02/2016

O programa do Simples Nacional, que unifica o pagamento de oito tributos em um único documento de arrecadação, pode proporcionar uma economia de até 40%. Não fique de fora dessa! Saiba de todas essas vantagens aqui:

O programa e suas vatangens

O prazo para adesão ao programa do Simples Nacional terminou dia 29/01/2016. Se você perdeu esse, não desanime, ano que vem você terá uma nova oportunidade.

O regime promete, além de reduzir a carga tributária, também diminuir a burocracia e as obrigações acessórias.

Ainda, segundo estudo do Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região (Sescap-Ldr), a economia gerada pela diminuição de tributos pode chegar a 40%.

O Simples e seu negócio

Mesmo contando com inúmeras vantagens o regime oferecido pelo Simples Nacional, nem sempre é o mais favorável à sua empresa.

É preciso analisar seu negócio e verificar se a tributação realizada pelo Simples é maior do que pelo Lucro Presumido. Esse fato pode fazer com que a adesão não seja a melhor escolha.

Para escolher o melhor regime tributário aconselhamos que o empresário procure o auxílio de uma organização contábil. Somente o contador poderá verificar se a empresa preenche os requisitos de enquadramento e se a implementação do regime será interessante.

Mas todos podem aderir ao programa? Saiba mais a seguir:

Empresas que não se enquadram ao programa

Já falamos aqui no blog a respeito das possibilidades de enquadramento ao programa, que inclusive poderá sofrer alterações em 2016.

Hoje vamos observar as empresas que não poderão fazer parte do mesmo, são elas:

  • Empresas que no ano anterior ou calendário tenha um faturamento superior a R$ 3,6 milhões (ou proporcional para empresas novas);
  • Aquelas que possuam 1 ou mais sócios que tenham mais de 10% de participação em empresa de Lucro Presumido ou Lucro Real (e neste caso, a soma do faturamento de todas as empresas também não pode ultrapassar o faturamento supracitado);
  • Ou aquelas que possuam sócio que tenham mais de uma empresa enquadrada no Simples Nacional e a soma do faturamento dessas empresas é maior que os R$3,6 milhões;
  • Empresas com pessoa jurídica (CNPJ) como sócio;
  • Entidade que tem participação de sócia em outras sociedades;
  • Não poderão se enquadrar ao programa do Simples também as empresas que possuem débito com o INSS ou com as Fazendas;
  • Locais que possuam filiais ou representante de empresa com sede fora do Brasil;
  • Finalmente, empresas que nos últimos 5 anos calendário tenham passado por desmembramento de pessoa jurídica.
  • Observação: As empresas do tipo Cooperativa (exceto as de consumo), ONGs, bancos, Sociedades por ações (S/A), Oscip, e financeiras ou gestoras de créditos, também não podem fazer a solicitação do Simples.


    Já sabe qual o melhor regime deve ser utilizado em sua empresa? Comente abaixo:

    Não se esqueça do TagPlus. O melhor e mais completo sistema de gestão comercial. Clique aqui e teste grátis por 15 dias.

    *Todas as informações estão de acordo com a legislação até 01/02/2016.