Controle Financeiro: Fluxo de caixa e Demonstrativo de resultados

folha de pagamento

postado por: , em 29/09/2015

Descubra a diferença entre o fluxo de caixa e o demonstrativo de resultados para compreender melhor sobre o controle financeiro da sua empresa

As demonstrações financeiras são documentos essenciais detalhando como uma empresa ganha e gasta o seu dinheiro.

Saber diferenciar fluxo de caixa e demonstrativo de resultados é uma das primeiras lições que o empresário deve saber sobre o controle financeiro da sua empresa. No post de hoje vamos entender sobre essas duas ferramentas do controle financeiro.

Demonstração de Fluxo de Caixa

A Demonstração de fluxo de caixa detalha o fluxo e o refluxo do dinheiro que entra e que está sendo gasto por uma empresa em um determinado período de tempo, no que se refere às suas atividades operacionais, atividades de investimento e de financiamento, mostrando como o dinheiro recebido se compara ao lucro líquido.

Nela, estará descrito a origem e aplicação dos fundos recebidos e dispensados durante o período do relatório, comparando os saldos de abertura com os saldos de fechamento em dinheiro ou contas equivalentes.

Para simplificar, a demonstração de Fluxo de Caixa pode ser entendida como uma planilha onde são lançadas as entradas e saídas de dinheiro.

Nele, consideramos o registro dos documentos na data que foram pagos ou recebidos.

Demonstração de resultados (DRE)

A Demonstração de resultados ou demonstração do resultado financeiro descreve a sustentabilidade financeira da empresa, sendo muito importante para indicar a viabilidade do negócio.

O DRE é o balanço da empresa, que deve ser feito mensalmente. É nessa conta que entram as receitas, as despesas e o resultado final irá mostrar se o negócio teve lucro ou prejuízo naquele período, e através dele é que se gera o demonstrativo que compara o resultado contábil ou gerencial da empresa com o saldo de todas as contas semanais, mensais ou anuais, tanto contábeis, quanto financeiras.

A contabilidade define o DRE como sendo o registro do documento na data do fato gerador (ou seja, na data do documento, não importando quando será pago ou recebido).

Ele também fornece informações relativas à adequação dos preços de venda (através do percentual de lucro bruto) e da suficiência do lucro em relação ao investimento do proprietário (por meio de um cálculo de retorno sobre investimento).

Então, o que difere o DRE do fluxo de caixa?

Enquanto o fluxo de caixa é a situação financeira no dia a dia, o DRE aponta a situação geral.

A diferença de valores é devido a quando são computados os dados, como dito acima, na data que foram pagos ou recebidos para o fluxo de caixa e na data do fato gerador para o DRE. Então, mesmo que o fluxo de caixa seja negativo em um dia, o mês pode ser positivo no DRE já que nele estão contabilizados documentos a se receber, como das compras parceladas, por exemplo.

A demonstração do resultado e a dos fluxos de caixa não devem ser vistas como algo excludente, e sim, complementares.

Ainda possui dúvidas? É só perguntar para gente através dos comentários!